Mania de Passar tem 72 unidades

Franquias apresentam negócios na Feira do Empreendedor 2018
Franquias apresentam negócios na Feira do Empreendedor 2018
26 de março de 2018
Case Unidade Real Park Tietê: Microempreendedores individuais cresce 17% no Alto Tietê em 2017
Case Mania de Passar Real Park Tietê: Microempreendedores individuais cresce 17% no Alto Tietê em 2017
4 de abril de 2018
Mostrar tudo
Franquia Mania de Passar, especializada no serviço de passadoria inicia 2018 com 7 inaugurações
Portal News
http://www.portalnews.com.br/_conteudo/2018/03/cidades/75249-mania-de-passar.html

A franquia Mania de Passar ganhou 72 novas unidades no prazo de um ano. Em 2016 possuíam apenas oito franqueados e agora contam com 80 participantes em mais de seis Estados

 

A franquia Mania de Passar ganhou 72 novas unidades no prazo de um ano. Em 2016 possuíam apenas oito franqueados e agora contam com 80 participantes em mais de seis Estados. Os sócios Cláudio Augusto Ramos e Eduardo Koji comemoram o alcance em locais como Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Minas Gerais, Maranhão e Manaus que já possuem a uma franquia, que tem sede no Alto Tietê.
A ideia surgiu quando Ramos, 32 anos, decidiu sair de Guararema e ir para Mogi das Cruzes, para estudar. Ele contou que quando começou a morar sozinho, enfrentou dificuldades na hora de passar suas roupas. “Primeiro comecei a levar em uma lavandeira para passar, porém era muito caro. Então, contratei uma empregada doméstica, porém achei o preço alto pois não tinha uma quantidade de peças que compensasse”, comentou.
Ele contou que, na época, já trabalhava no Sebrae e ao conversar com alguns amigos, encontrou a necessidade de passar roupas em comum. “Eu e meu sócio, assim como diversas outras pessoas, dividimos a dor nacional de passar roupa”, brincou.
Por trabalhar no Sebrae, Ramos explicou que já tinha afinidade com pequenas empresas, e que assim como seu sócio, Koji, de Suzano, tinha conhecimento de modelos de negócio.”Foi um projeto feito por nós em casa”, revelou sobre a microfranquia criada no final de 2015.
O empreendedor afirmou que ele e Koji possuem métodos específicos de trabalho. “Nós nos adequamos sempre à gestão e acredito que desafios são sempre bons”. Atualmente, há franqueados em Mogi, Suzano e Poá, mas há planos de expansão para Arujá e Itaquaquecetuba.
PILOTO
A primeira franqueada é Nadir Yukie Iguchi Koba, 53 anos, que mora em Suzano. Ela perdeu seu emprego em abril de 2015, quando trabalhava na área administrativa, e estava desempregada, até que os sócios a chamaram para ser a primeira com a franquia e, em março de 2016, já iniciou os serviços.
Nadir comentou sobre a experiência que vive há dois anos. “Estou amando pois tenho um retorno financeiro muito bom e ao mesmo tempo me sinto realizada em fazer algo que eu gosto”.
Ela conta que passa as peças em casa e esse trabalho permite que faça seu horário de trabalho, mas sempre com comprometimento em entregar tudo no prazo.
Todos os meses, a empresa promove cursos de formação para pessoas que já fecharam contrato. E duas vezes ao mês, ela dá aulas sobre a parte prática, voltada para ensinar a passar as roupas.
“Os clientes ficam muito satisfeitos pois o serviço traz comodidade, já que a maioria trabalha muito e pode aproveitar o tempo com a família aos finais de semana”, concluiu Nadir. (I.G.)
Texto supervisionado pelo editor.

Franquias aumentam 14% em três anos em todo o Alto Tietê

Dados da ABF apontam que 583 redes atuam na região, porém 18% estão voltadas para saúde, beleza e bem estar

 

A quantidade de franquias na região aumentou 14,3%, nos últimos três anos, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Com um total de 583 unidades de redes, sendo que 30% pertencem ao segmento alimentício e 18% à saúde, bem estar e beleza.
De acordo com o vice-presidente da ABF, André Friedheim, a expectativa é que em 2018 as franquias aumentem 10%, em relação ao ano passado, em todo país. Friedheim também comentou sobre porquê o franchising agrada os empresários. “O modelo apresenta uma solução que está em alta pois oferece capilaridade e controle sob o operador, além de trazer menor risco”, disse ele.
O vice-presidente assegurou que dessa forma, o empreendedor tem acesso a uma marca conhecida, mais tecnologia, propagandas profissionais e uma rede ainda mais profissional de negócios. Ele afirmou ainda que, em até dez anos, 80% dos negócios independentes encerram suas atividades, enquanto apenas 15% das franquias fecham as portas. “Julgamos uma ação muito promissora”.
Friedheim contou que há alguns anos, durante o período inicial da crise, mesmo com as dificuldades do mercado, o faturamento do setor de franquias cresceu 8% e, hoje em dia, representa 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. O executivo confessou que cidades como Mogi das Cruzes, Suzano e Itaquaquecetuba, as quais possuem shoppings e população ativa em compras, representam grande potencial. “O Alto Tietê faz parte dos planos de expansão da maioria das franquias, de todos segmentos, principalmente serviços, vestuário e alimentação”.
Histórias de sucesso
Muitos empresários de primeira viagem escolhem o sistema de franquia pela disposição de serviços e o modelo com pacote de metodologias, propagandas e outras funcionalidades para alavancar cada unidade, segundo dados da ABF. Esse foi um dos motivos que fez o engenheiro mecânico Renato Jorge Souza de Oliveira, de 30 anos, abrir uma unidade especializada em estética e limpeza automotiva a seco, a Ncars.
Oliveira tem o empreendimento há cinco meses, em Ferraz de Vasconcelos, oferecendo serviços de conservação e cuidados com automóveis, tudo com atendimento a domicílio. Ele explicou que buscava uma fonte alternativa de renda, mas que iniciar um negócio sempre foi uma preocupação. “A franquia oferece tudo que preciso e só me preocupo com a parte operacional, então para os iniciantes é muito bom”, revelou.
Esse também foi o grande atrativo que fez a engenheira Ana Eliza Macedo, em parceria com o pai Geraldo Teodoro e o marido, Danilo Macedo, inaugurar uma unidade da lavanderia Lava e Leva, localizada em Mogi das Cruzes, em Cezar de Souza. “O foco da empresa é a comodidade do cliente e a franquia também nos proporciona isso, pois eu e meu marido conseguimos conciliar nossos outros empregos com a lavanderia”.
*Textos supervisionado pelo editor.

Novos empresários optam pelas franquias

Muitos empresários de primeira viagem escolhem o sistema de franquia pela disposição de serviços e o modelo com pacote de metodologias, propagandas e outras funcionalidades para alavancar cada unidade, segundo dados da Associação Brasiliera de Franchise (ABF). Esse foi um dos motivos que fez o engenheiro mecânico, Renato Jorge Souza de Oliveira, de 30 anos, abrir uma unidade especializada em estética e limpeza automotiva a seco, a Ncars.
Oliveira tem o empreendimento há cinco meses, em Ferraz de Vasconcelos, oferecendo serviços de conservação e cuidados com automóveis, tudo com atendimento a domicílio. Ele explicou que buscava uma fonte alternativa de renda, mas que iniciar um negócio sempre foi uma preocupação. “A franquia oferece tudo que preciso e só me preocupo com a parte operacional, então para os iniciantes é muito bom”, revelou.
Esse também foi o grande atrativo que fez a engenheira Ana Eliza Macedo, em parceria com o pai Geraldo Teodoro e seu marido, Danilo Macedo, inaugurar uma unidade da lavanderia Lava e Leva, localizada em Mogi das Cruzes, em Cezar de Souza. “O foco da empresa é a comodidade do cliente e a franquia também nos proporciona isso, pois eu e meu marido conseguimos conciliar nossos outros empregos com a lavanderia”. (I.G.)
Textos supervisionado pelo editor.

 

1 Comentário

  1. Alan Marcos disse:

    Parabéns pela conquista, isto é muito inspirador para nós empreendedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: